A vida íntima de Laura

 

Tem uma categoria no meu blog que se chama “a vida intima de Laura”, isso porque quando eu era bem pequena, tinha uns 7 anos, ganhei um livrinho da madrinha da minha irmã, a “dinda Valquíria”. O livro se chamava “a vida íntima de Laura”, esse livro é da Clarisse Lispector, e é claro que do alto dos meus 7 anos de vida eu ainda não sabia quem era aquela senhora.

O livro conta a vida de uma criatura chamada Laura –  por isso acredito que as “Laurinhas” devem ganhar mto esse livro. Ocorre que a Laura em questão é uma galinha, e eu sempre tive – e ainda tenho – MEDO de galinhas. Hoje em dia eu sei que isso é um tipo de fobia, naquele tempo era horror mesmo!!! Nós tinhamos galinhas e garnizés em casa, e eu nem chegava perto, se vinha um daqueles bolos de pena com bico pro meu lado eu saia correndo como quem corre de uma alma penada. Quando eu queria comer melancia, em Rondinha, era um martírio, pq eu adoro melancia, mas, ao que parece as galinhas também, e elas ficavam em roda da mesa esperando cair uma semente, e eu entrava em pânico. Teve uma vez também, que o cachorro da vizinha entrou no pátio da minha casa e massacrou um galo que tinha lá, o pobre do galo não morreu, mas ficou com o pescoço em carne viva, olhar pra ele era a visão do inferno. No fim ele teve que ser sacrificado, devia estar sofrendo muito, coitado.

Voltando ao livro, quando olhei pra capa e vi que deram o meu nome pra uma galinha, aquilo já me causou aversão, mas o pior estava por vir, no interior do livro. Lá pela terceira página eu dou de “olhos” com essa frase:

“Outra verdade: Laura é bastante burra. Tem gente que acha ela burríssima, mas isto também é exagero: quem conhece bem Laura é que sabe que Laura tem seus pensamentozinhos e sentimentozinhos. Não muitos, mas que tem, tem Só porque sabe que não é completamente burra ela fica toda prosa e boba. Ela pensa que pensa. Mas em geral não pensa coisíssima alguma.”

Todo o mundo sabe como são as crianaças, não sabem???

Naquele momento eu fiquei muito decepcionada, além de ser uma galinha eu era a galinha mais burra do mundo!!!

Eu não terminei de ler o livro, larguei pra sempre – o sempre de uma criança – e dei pra alguém – que não se chamava LAURA, é claro.

Hoje, ainda tenho horror de galinhas, se elas chegam perto de mim não posso mais sair correndo – acho que essa era uma prerrogativa da Laurinha criança – mas eu vou me afastanto bem discretamente, torcendo pra galinha não cismar comigo.

Sobre o livro, tenho uma opinião bem diferente da que eu tinha, acho uma obra prima para crianças, nem poderia ser diferente, porque os pequenos foram honrados com um livro da Clarice Lispector, que não subestima a inteligência de ninguém, muito menos a deles.

Reli o livro e percebi que tem trechos muito instrutivos – para crianças que não tenham horror à galinhas – do contrário prefiram presentear com os livrinhos da Lya Luft, que tb são bons.

Aqui vão algumas partes do livro:

“A verdade é que Laura tem o pescoço mais feio que já vi no mundo. Mas você não se importa, não é? Porque o que vale mesmo é ser bonito por dentro. Você tem beleza por dentro? Aposto como tem.”

“Laura vive apressadinha. Por que tanta pressa, oh Laura? Pois ela não tem nada o que fazer. Esta pressa é uma das bobagens de Laura.”

“É assim vida íntima quer dizer que a gente não deve contar a todos o que se passa na casa da gente. São coisas que não se dizem a qualquer pessoa.”

“Vai sempre existir uma galinha como Laura e sempre vai haver uma criança como você. Não é ótimo? Assim a gente nunca se sente só.”

“Foi assim que Laura se viu entre galinhas desconhecidas e sem Luís. Depois tudo foi melhorando porque ela começou a arranjar amigas entre as galinhas e botou grande quantidade de ovos.”  

“Eu queria tanto que Laura soubesse falar. Ela ia dizer tanta burrice engraçada que só vendo.”

“Mas não é fácil explicar o gosto que se tem na boca. Por exemplo: experimente
explicar o gosto do chocolate. Viu como é difícil? É gosto de chocolate mesmo.”

“Só uma galinha é diferente delas: uma carijó toda de enfeites preto e branco. Mas elas não desprezam a carijó por ser de outra raça. Elas até parecem saber que para  Deus não existem essas bobagens de raça melhor ou pior.”

“— Ah, cacarejou Laura, os humanos são muito complicados por dentro. Eles até se sentem obrigados a mentir, imagine só.”

“Que bom ser protegida por um habitante de Júpiter, pensou Laura e começou a dormir de novo

 

 

 

 

About these ads

~ por laurams em maio 18, 2008.

6 Respostas to “A vida íntima de Laura”

  1. Adorei o blog, bem crítico, com bons textos e boas referências, prova de que blog não é coisa de internauta acéfalo, mas sim de pessoas antenadas com o mundo, críticas da sociedade atual e indignadas com a atual situação do mundo hoje.

    Continue assim, já que agora sou leitor cativo do seu blog

    Marcelo Dias

  2. Marcelo, que bom que gostaste!!!
    Obrigada pela gentileza nos elogios e pela visita,
    volta sempre.

    Laura

  3. Ermã, achei fofinho o texto e teu post! Mas enquanto lia, fiquei pensando se foi por causa deste livro que tu recebeu teu nome. Tu sabes como foi a escolha, pq Laura e não outro nome?

    xero

  4. Oi Juuuuuu
    na real, graças aos céus, meu nome não foi dado por causa desse livrinho, na época ele me traumatizou mesmo. Acho que meu nome é Laura pq meus pais gostavam mto. Provavelmente eles queriam um nome latino, como os das ermãs, e Laura foi a escolha deles. Teve um toque de competição na escolha, pq minha mãe e minha tia ficaram gravidas qse juntas e a minha tia tb queria esse nome pro nenê dela. Ai foi uma guerra pq meu pai disse que seria o meu nome e que eu nasceria antes de qq maneira. Aí eu nasci e, felizmente, ganhei o nome. Minha tia ficou meio irritada, mas no fim deu tudo certo pq o nenê dela foi um menino, chamado Guilherme. Eu acho que a maioria das pessoas se sentem assim, mas para mim meu nome é o mais lindo do mundo!!!
    Nem o fato de ser o nome de uma galinha burra me fez mudar de opinião!

    Bjoss

  5. Bom, pelo menos vc escapoou de um eterno trauma, caso a escolha se desse por este livro. :)

    No meu caso, meu pai maluco queria me dar o nome de Aishaia (deve ter sido uma viagem bem louca dele – apesar de depois ate ter gostado do nome :P )
    Daí depois de minha mae ter dito não de todas as formas possíveis, ele veio com Juliana, para ficar parecido com o da minha meia-irmã, Giovana…

    xero

  6. great job, mate! I love the “intimate life of Laura” hehehehe, very nice, indeed! hey, we can put your blog on my blog roll if you like!

    cheers & keep up the great job!

    R

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: